Home  |    Cadastre-se    |    Blog   |    Contato

Notícias

  • Notícias
  • Casamento realizado na Casa de Oxumarê
Casamento realizado na Casa de Oxumarê

Terça, 09 Junho 2015

Casamento realizado na Casa de Oxumarê

Na terça-feira do dia 9 de junho, antecedendo o dia da celebração ao Òrìsà Oya, o Babalòrìsà Pecê, celebrou o Igbeiyawo (casamento) de Hugo de Solza Bastos Brandão Silva com Ingred Nadja Santana lima Bastos, no Terreiro de Òsùmàrè.


Os rituais se iniciaram no domingo, momento em que os jovens prestaram revências ao Òrìsà Èsú rogando bons caminhos, proteção e fertilidade. Após prestar respeitos a divindade do princípio, o casal rendeu homenagens aos seus ancestrais, ao tempo que solicitavam as benção dos antepassados, cânticos eram entoados unindo as duas famílias. No dia seguinte limpezas espirituais e os ritos internos do casamento foram realizados. 
No dia da cerimônia pública, ainda pela manhã as Agba (anciãs) colheram as ervas sagradas para a realização do banho da noiva, enquanto o noivo foi levado até a arvore onde assenta-se o Òrìsà Òsanyin, local onde também se encontram outras sagradas arvores e representa a floresta sagrada do Terreiro. Neste local o noivo recebeu os conselhos para assegurar um casamento perpetuo, jurou perante as divindades honrar sua esposa e ser um bom companheiro. Horas antes do momento esperado pelos convidados, que aconteceu por volta das 20 horas, Ingred foi banhada e vestida, durante essa etapa, ela recebeu conselhos e orientações das Agba, que as relataram suas experiências ao tempo que rogavam aos Deuses a felicidade e harmonia do casal.
O noivo entrou ao barracão, ao som de um antigo cântico yorùbá que versa a alegria da comunidade naquele dia. Logo após, já ao som de cânticos específicos do Igbeiyawo, entrou a noiva, rodeadas pelas mulheres da comunidade-terreiro. Nitidamente emocionado, Baba Pecê realizou por meio do Obì, a consulta aos Òrìsàs, rogando novamente aos Deuses e Ancestrais a benção aos noivos, que partilharam entre si, alguns elementos transformadores e condutores de asè, que na cultura dos Òrìsàs simbolizam a vida longa, alegria, união, prosperidade e, sobretudo, o amor, os noivos receberam ainda o Ileke amarrado ao braço, que simboliza a união do casal.
O casal retornou para Irece, interior da Bahia, onde no dia 20, sábado deste mesmo mês, recepcionarão os familiares e amigos. Nesta oportunidade também receberam uma benção. Na referida recepção o Babaegbe da Casa de Òsùmàrè, representara o Babalòrìsà Pecê, fara a leitura publica dos votos do Babalòrìsà e entregara uma muda de árvore a ser plantada pelo casal. Está significativa arvore, roga aos noivos longevidade e fertilidade ao tempo que os alerta que assim como a arvore dependera da agua, terra, sol e ar, o relacionamento necessitará de manutenção eterna de cumplicidade, compreensão, dialogo e principalmente amor.