Home  |    Cadastre-se    |    Blog   |    Contato

Notícias

  • Notícias
  • EM NOITE MEMORÁVEL, O AFOXÉ OMO DADÁ ABRE O SÁBADO DE CARNAVAL DE SÃO PAULO NO ANHEMBI
EM NOITE MEMORÁVEL, O AFOXÉ OMO DADÁ ABRE O SÁBADO DE CARNAVAL DE SÃO PAULO NO ANHEMBI

Quinta, 27 Fevereiro 2020

EM NOITE MEMORÁVEL, O AFOXÉ OMO DADÁ ABRE O SÁBADO DE CARNAVAL DE SÃO PAULO NO ANHEMBI

Antes de tudo é preciso dizer o que é o afoxé e o que ele representa. Isso porque muita gente o confunde com um simples bloco carnavalesco, mas não é.
Afoxé, palavra de origem africana Yorubá, pode ser traduzido como “o enunciado que faz acontecer” ou simplesmente “a fala que faz”. É um cortejo afro-brasileiro, comumente chamado de “candomblé de rua” que sai às ruas durante o carnaval. E, exatamente por isso, a maioria dos seus integrantes é do candomblé ou são adeptos de religiões de matrizes africanas.
Os afoxés, que teve sua primeira manifestação nas ruas em 1885 na Bahia, com o grupo chamado ‘Embaixada da África’, possuem por características as roupas africanas, que geralmente trazem as cores dos orixás, os cânticos em língua yorubá e os instrumentos de percussão, como atabaques, xequerés, agogôs etc. Os ritmos das cantigas entoadas e da dança são os mesmos daqueles realizados nos terreiros.
Assim, por carregarem todo esse caráter místico e também religioso se distinguem dos blocos carnavalescos.
Além disso, o Afoxé possui um caráter especial de luta e resistência contra o racismo e a discriminação racial e religiosa. Por representar toda essa riqueza cultural e ancestral, o Cortejo do Afoxé foi reconhecido pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) como patrimônio cultural e imaterial da Bahia.
Mas, não só na Bahia o Afoxé é tradicional. Em São Paulo, o Afoxé Filhos da Coroa de Dadá ou “AFOSE OMO DADA” é um dos mais antigos e tradicionais da cidade. Fundado em 1980, sempre exerceu um papel fundamental na preservação e propagação da cultura afro-brasileira na capital paulistana.
Neste ano, tendo como seu Oba (rei) Afoxé o Olori Egbe da Casa de Oxumarê – BA, Babá Pecê e como Iya (Mãe) Afoxé a Iyalorixá Luizinha de Nanã - do Ilé Alákétu Asè Airá (Asè Batistini), o Afoxé Omo Dadá trouxe muita alegria e confraternização entre os povos de terreiro na abertura do último sábado de Carnaval de São Paulo (22/02/2020).
Entoando cânticos característicos em yorubá, com muita dança, respeito e tradicionalidade o Afoxé Omo Dada realizou seu cortejo abençoando a avenida e todos os presentes no sambódromo do Anhembi.
Babá Pecê, reforçando seu compromisso com a defesa da cultura, da religiosidade africana e da união dos povos, e esbanjando simplicidade e simpatia, que lhe são características, seguiu o cortejo com o máximo respeito e com muita alegria em perfeita comunhão com todos e todas ali presentes.
Foi, sem dúvida, um evento memorável.

Caio Cortez